Alexandre Hennemann 

Eu sou Alexandre Hennemann, tenho 14 anos, moro em Sapucaia do Sul e comecei a desenhar com 10 anos de idade. Meus  primeiros desenhos eram só Simpsons, daí quando eu tinha uns 12 anos comecei a desenhar animes como Dragon Ball e também comecei a desenhar carros.

 Alexsander Hennemann 

Eu sou Alexsander Hennemann, tenho 14 anos e moro em Sapucaia do Sul. Comecei a gostar de desenhar em 2014 com 10 anos de idade. Meus primeiros desenhos eram dos Simpsons, nesse tempo eu já olhava Dragon Ball Z e fui tentando desenhar os personagens até ficar como eu queria. Por enquanto eu ainda não fiz um curso de desenho, aprendi a desenhar sozinho, com umas dicas do meu irmão do meio Billy. Mas pretendo indo aprendendo e melhorando meus traços, minha pintura.

 Bianca Porciúncula 

Meu nome é Bianca Graver Porciuncula, tenho 13 anos, nasci em Novo Hamburgo, onde resido até hoje, faço aula de arte a cinco anos no Atelier Livre Municipal de minha cidade

 Bruna Barros 

Gestora Cultural formada pelo IFSUL e estudante de Artes Visuais na UFRGS, Bruna Barros traçou o seu caminho nas artes ao ingressar em seus estudos em 2016. Agora, estreando com a sua primeira exposição, Bruna volta para o lugar onde decidiu e sentiu-se artista: Galeria Experimental no IFSUL.

 Gustavo Cardoso 

Sou Gustavo Cardoso, estudante de Engenharia Mecânica, tenho 18 anos e moro em Sapucaia do Sul desde que nasci. Sempre gostei de desenhar, e o faço sempre que posso (às vezes no meio das aulas, o que já me rendeu alguns “puxões de orelha”). Em meu traço tento trazer o equilíbrio entre estética e sentimento; meus típicos olhos sem pupila querem que a própria pessoa se veja no lugar daquele rabisco e procure em si mesma o que aquilo lhe remete.

 Lauany Machado 

Lauany Machado tem 18 anos e é natural de São Leopoldo. Formanda do curso técnico integrado em plásticos do IFSul, sempre foi apaixonada pelo mundo das artes e começou a se dedicar a pintura no segundo semestre de 2017.

 Lisandra Steffen 

Lisandra Steffen é estudante de Jornalismo na UNISINOS São Leopoldo e mora em Sapucaia do Sul. Começou a se interessar pela arte quando ainda estudava no IFSul, mas se encontrou na fotografia em 2016. Hoje, com 21 anos, tem a foto como um hobby, porque acha que, com ela, pode dar voz e significado para o próprio mundo.

 Lorena Bendati 

Lorena Bendati, natural de Porto Alegre, nasceu em 1999. Sempre se interessou por arte e atualmente cursa Licenciatura em Artes Visuais na UFRGS.

 Muriel Alves 

Muriel Alves tem 12 anos e é natural de Sapucaia do Sul. Desde pequeno teve interesse pela a arte, com 8 anos de idade decidiu que iria fazer isto pelo o resto de sua vida.  Em 9 de outubro de 2018 teve uma oportunidade de expor uma de suas obras e escolheu a obra Raízes do Brasil,  querendo representar os verdadeiros donos das terras brasileiras e o egoísmo das pessoas ao se adornar-se de terras com florestas lindas e rios cristalinos. Esta obra foi dedicada para um menino e sua mãe da tribo Guarani que foram expulsos de suas terras e hoje habitam a cidade de São Leopoldo.

 Ryel Nunes 

Biografia não fornecida pelo artista.

 Samuel Kamohara 

Biografia não fornecida pelo artista.

 Samuel Wolf 

Samuel W. Wolf, 23 anos, natural de São Leopoldo. Formado Técnico em Gestão Cultural pelo IFSul e, atualmente, estudante de graduação em Design de Produto pela UFRGS. Autodidata em desenho, trabalha principalmente com a figura humana em técnicas de grafite e nanquim. Em 2018, realizou uma série de desenhos de observação nos laboratórios de anatomia da UFRGS e da UFCSPA.

 Victoria Cazarim 

Amante dos livros e estudante de Artes Visuais na UFRGS, Victoria Cazarim Moreira tem 19 anos. Desde muito nova possui contato com arte, uma vez que o pai é pintor e desenhista por paixão e a mãe é artesã. Em meados de 2015 descobriu sua paixão por aquarela, que continua sua técnica predileta, já em 2018, cursando a faculdade, constatou sua paixão por outras tintas. Seu foco, com as tintas guache, que são de mais fácil acesso, é pintar retratos, mas desconsiderando os tons de pele existentes nos seres humanos, a ideia é que não se tenha uma cor existente para que se possa representar a todos. Atualmente, além das experimentações com cores em guache, treina pintura com acrílica e óleo.